sábado, dezembro 17, 2005

Um primeiro atestado de nossa ascendência italiana

Hoje é uma data importante para mais um dado oficial. Ontem, 16 de dezembro de 2005, recebi um retorno de uma carta enviada à Itália, para o Achivio de Stato de Lucca, onde solicitei informações sobre "Della Vista di Leva" que corresponde ao nosso Certificado de Reservista.

Na sua resposta, este departamento atestou que Luigi Bertolucci está registrado em Lucca, Capannori, com data de nascimento em 31/12/1860 e a filiação também está correta como já publiquei neste blog: filho de Pellegrino Bertolucci e Palmerina Micheli. O mesmo departamento sugeriu escrever para o Archivio de Stato de Firenze para conseguir a certidão de nascimento, que farei muito brevemente.

A partir de meu bisavô Luigi Bertolucci começa nossa história aqui no Brasil.

quarta-feira, novembro 02, 2005

1. Luigi Pellegrino Bertolucci

(Este post foi atualizado em 21/04/06)


Este é o parente mais antigo que resgatei nas minhas pesquisas, meu trisavô Luigi Pellegrino Bertolucci casado com Dna. Palmerina Michela. Consegui chegar nestes nomes através do livro de registro de nascimento do meu avô João Bertolucci . O problema nestes estudos de genealogia é que sempre surgem nomes grafados erroneamente, como os deles que estão como Pellegrini e Palmerini Bertolucci. Penso que naquela época não se pediam outros documentos e os cartorários com problemas em compreender a pronúncia dos italianos, registravam como entendiam. Creio que o correto seja Pellegrino e Palmerina, de outra forma também podem estar aportuguesado.

Na Memorial do Imigrante, situado no Brás, existe um registro de imigração em nome de Pellegrino Bertolucci, com a informação de que chegou no porto de Santos em 1885, no navio Bisagno, com 49 anos, procedente da cidade de Genôva. Seguiu em 22 de fevereiro para a capital e sucessivamente para a cidade de Limeira. Acho que vale a pena pesquisar esta certidão para ver se existem outras informações como filiação, etc. e averiguar se esta pessoa faz parte da nossa família. Se for o pai do bisavô Luiz, será um grande achado.

Ainda não sei se o casal Pellegrino e Palmerina tiveram outros filhos. Acredito que meu bisavô não tenha sido filho único, porém, não me recordo de algum familiar ter comentado sobre outros irmãos dele se vieram para o Brasil.

* Todas essas buscas começaram quando em 1994 me interessei em buscar minha cidadania italiana. Naquele período uma matéria no Jornal da Tarde sobre cidadania, indicavam as igrejas dos mórmons como um bom lugar para iniciar estas pesquisas, pois eles têm os registros (naquela época microfilmes) de nascimentos, casamentos e óbitos de todas as pessoas do mundo. Por muitos sábados fui a igreja no bairro da Penha e apesar de conseguir levantar algumas informações não passei do estágio de construir uma pequena árvore genealógica de nossos familires.

O primeiro passo para dar entrada na solicitação da cidadania italiana é estar com todas as certidões, ou seja, de nascimento, casamento e óbito, neste caso partindo do meu bisavô Luiz. Depois dos outros parentes suscessivamente, chegado ao meu pai e a minha pessoa. Visite também o Patronato Italiano, no edifício Itália, localizado no centro de São Paulo, para buscar mais informações. Lá descobri que na época do nascimento (1860) do meu bisavô, as pessoas eram registradas nas igrejas. Eles me forneceram uma lista com todas as comunes na província de Lucca.

Enviei algumas cartas (escritas em italiano, modelo fornecido pelo Patronato) para exatamente nove paróquias da província de Lucca, na Itália. Dois párocos responderam, mas sem muitas novidades, somente dizendo que não havia nenhum registro de nascimento em nome de Luigi Bertolucci. O pároco de Gragnano deu uma dica de que em Capannori realmente existem muitas famílias com o mesmo sobrenome da nossa família.

O próximo passo após ter todas estas certidões são os gastos com traduções de todos os documentos, preenchimento de requerimentos, etc. Nem sei se atualmente tudo isso valha a pena!

Daquele período para cá não realizei mais nenhuma pesquisa, voltando somente a me interessar por este assunto, quando me surgiu a idéia de não mais buscar a cidadania, mas de escrever algo sobre nossos familiares.

sábado, outubro 29, 2005

Árvore Genealógica

(Este post foi atualizado em julho/12)



LUCCA – Capannori - Itália

Partindo de LUIGI BERTOLUCCI. Já como imigrante, seu nome foi aportuguesado para Luiz Bertolucci.

Esta árvore genealógica também está organizada pelo site Rodovid




1. Luigi Pellegrino Bertolucci  (1837 - ------)
     (Itália - Lucca - Capannori)
-- Palmerina Micheli


---1.2 Luigi Bertolucci (Luís) (31/01/1860 - 28/05/1945)
------- Maria Emília Ferreira da Silva (1864 - 03/01/1943)
           (pais) Joaquim Ferreira da Silva e Gertrudes Ferreira da Silva falecida em 18/02/1905

-------1.2.1 Isabel Bertolucci (19/08/1887 - 01/05/1970)
-------------Américo Cerruti (Falecido em Novembro de 1954)
.........1.2.1.1 Paulo Bertolucci (25/07/1890 - 00/00/00) Batizado em 31/10/1890
-------
1.2.2 Antonio Bertolucci (10/08/1892 - 22/11/1980)
-------------Josephina Salvagnini (12/04/1893 - 23/08/1985)
-------------1.2.2.1 Nélson Bertolucci
-------------1.2.2.2 Nilza Bertolucci
------1.1.3 João Bertolucci (21/06/1895 - 19/03/1969)
-------------Clandira Guedes Magalhães (21/07/1899 - 18/05/1975)
-------------1.1.3.1 Nilza Bertolucci
-------------1.1.3.2 Assir Bertolucci (29/03/1920 - 20/11/02)
--------------------- Jordelina Bertolucci (falecida)
------------ 1.1.3.3 Edmilson Bertolucci (26/07/1922 - 10/05/1975)
--------------------- Catarina Magalhães (falecida)
---------------------1.1.3.3.1 Luiz Antonio Bertolucci (Gijão)
------------------------------- Gina
------------------------------- 1.1.3.3.1.1 Antonio Eduardo Bertolucci-- (04/05/1967 - falecido)
------------------- 
                                           1.1.3.3.1.2. Luiz Fernando Bertolucci       
1.1.3.3.2 Luiz Roberto Bertolucci (falecido em 2009)
------------------------------- Helenice

                                          1.1.3.3.2.1 André Luiz Bertolucci 
                                          1.1.3.3.2.2 Paulo Ricardo Bertolucci

------------1.1.3.4 Luiz Joacir Bertolucci (Zizo) (22.11.1924 - 00/08/2001)
--------------1----- Maria Soares--------------------
---------------------1.1.3.4 Sérgio Luíz Bertolucci (23/07/1954)
----------------------------Maria Aparecida Cantarelli Bertolucci
----------------------------1.1.3.4.1 Rodrigo Cantarelli Bertolucci
----------------------------1.1.3.4.2 Rafael Cantarelli Bertolucci
------------1.1.3.5 Osmar Bertolucci (30/04/1928 – 25/04/98)
--------------------Maria Inês dos Santos (../../..    -   12/09/2012)
--------------------1.1.3.5.1 Nilton dos Santos Bertolucci (30/04/1959)
------------------------------Sueli Lopes de Souza Bertolucci
------------------------------1.1.3.5.1.1 Vivian Lopes de Souza Bertolucci
------------------------------1.1.3.5.1.2 Patrícia Lopes de Souza Bertolucci
--------------------1.1.3.5.2 Nilson dos Santos Bertolucci 24/04/1963)
------------------------------Valéria
------------ 1.1.3.6. Hélio Bertolucci (20/02/1931 - 16/05/2010)
--------------------- Nair Pierrotti (18/08/1932 - 18/02/2011)
--------------------- 1.1.3.6.1. Márcia Regina Bertolucci Pinto (18/12/1955)
-------------------------------- José Carlos Ruiz Pinto (00/00/00 - 16/11/2007)
--------------------- 1.1.2.6.2 Hélio Bertolucci Júnior (08/03/1962) - Blogueiro------------
                 1.1.3.7. Marilda Bertolucci Tiano (00/05/1933)
---------------------  João Tiano (Falecido)
-----------------------Cláudio Luiz Tiano (25/12/1957)                              
-----------------------Carlos Antonio Tiano (26/05/1960)
-----------------------Nilza Maria Tiano (22/11/1962)



------1.3.4 Elisa Bertolucci (31/12/1899 - 18/05/1986)
-------------(ficou casada somente um mês)

------1.3.5 Luiz Bertolucci Filho (faleceu em Novembro de 1966)
-------------(parece que foi amigado)

------1.3.5 Mario Bertolucci (1901 - 19/11/1939)
------------- (estado civil – solteiro)

------1.3.6 Olga Bertolucci (1905 - Jan/1966)
-------------(estado civil – solteira)

------1.3.7 Yolanda Bertolucci (15/11/1908 -14/05/1986)
 
-------------(estado civil – solteira)

Segundo informações de Antonio Bertolucci (filho de Luiz Bertolucci) a família teve outros filhos: três meninas e um menino que faleceram bebês, sem outros registros. Estas informações chegaram através de carta datada de 17 de outubro de 1994, escrita por Nélson Bertolucci, filho do Antonio e a mim endereçada.

A maioria dos familiares - Luiz Bertolucci, esposa e quase todos os filhos - foram sepultados no cemitério de Vila Mariana, nesta capital de São Paulo, onde existe um jazigo da familia. Estive averiguando esta procedência há mais ou menos uns quatro anos e não os localizei. Devido a um incêndio na década de 60 neste cemitério, muitos documentos foram perdidos, existindo a necessidade de levar datas dos últimos que por lá foram enterrados para averiguação de onde se localiza este túmulo.

João Bertolucci e espôsa (meus avós) estão sepultados no Cemitério da Quarta Parada, nesta capital, no jazigo da família Gonçalves, familiares por parte de meu tio, Osmar Bertolucci. 

Meu tio Osmar Bertolucci e meu pai Hélio Bertolucci também estão sepultados neste jazigo.


1. meu trisavô (Pellegrino Bertolucci) 
1.2. meu bisavô (Luiz Bertolucci)
1.1.3 meu avô (João Bertolucci)



quinta-feira, outubro 27, 2005

Brasão da Família Bertolucci



Segundo consta em alguns documentos de Luíz Bertolucci, nossa ascendência está na comuna de Capannori (Pieve) - Lucca, na região da Toscana, bem perto das cidades Firenze e Pisa. Pouco se sabe sobre a origem do nosso sobrenome, apesar dele ser conhecido internacionalmente devido ao cineasta Bernardo Bertolucci. Segundo o livro "A origem e o significado dos sobrenomes italianos" de Ciro Mioranza, Editora São João, não consta diretamente nosso sobrenome. Uma referência próxima, diz: [...] Que Bortolucci remontassem do latim Bartholomaeus que, por sua vez, era uma adaptação do nome hebraico e aramaico Barthalmay e que este se compunha de bar (filho) e thalmay (agricultor ou o que tem o domínio sobre as águas suspensas, as chuvas, ou ainda, intrépido, belicoso, temperamental) [...] - pag. 118

Pesquisa realizada em 12/11/2005
BERTOLUCCI - de Bertolo com o sufixo plural -ucci.

Pesquisa realizada em 14 de março de 2012

Sia Bertolizio che Bertolizzi sono quasi unici, sicuramente del nord Italia, Bertoluzzi, assolutamente rarissimo, è leggermente meno raro, Bertoluzzo, molto molto raro, ha un ceppo tra vicentino e padovano ed uno tra cuneese e savonese, Bertolucci è sicuramente il più diffuso, tipico della Toscana nordoccidentale, delle province di Massa e Lucca soprattutto, dovrebbero tutti derivare dal nome medioevale Bertolicius o Bertolutius, di cui abbiamo un esempio in un atto dell'anno 1301: "Questio domini Bertolutii de Pretis doctoris legum disputata sub MCCCI die tertia intrante apreli. In nomine Patris et Filii et Spiritus Sancti amen. Questio talis est: cavetur in statuto communis Bonon. In alio cavetur quod nullus de lingua forasteria possit habere officium. ...".

Ambos Bertolizzi Bertolizio que são quase únicos, certamente norte da Itália, Bertoluzzi, muito raro, é ligeiramente menos raros, Bertoluzzo, muito, muito rara, tem uma tensão entre Vicenza e Pádua e um dos Cuneo e Savona, Bertolucci é certamente o mais difundido, típica das províncias do noroeste da Toscana Lucca e Massa em especial, todos devem ser derivados dos Bertolicius nome medieval ou Bertolutius, que temos um exemplo em ato do ano 1301: "questio de domínios Bertolutii Pretis doctoris legum jogado sub dias MCCCI tertia intrante em nomine Patris apreli et Filii et Spiritus Sancti Amém questio talis est:.. communis cavetur Bonon nos estatutos em nullus quod de alio linguagem cavetur forasteria possit habere Officium .... "..


Fonte: http://www.cognomiitaliani.org/cognomi/cognomi0002erto.htm

Lucca

HistóriaCidade que data de antes de Cristo, serviu como palco para a renovação do triunvirato de César, Pompeu e Crasso. No início da Idade Média, sob domínio germânico, foi a cidade mais importante da Toscana. No ano de 570 foi conquistada pelos lombardos. Foi, no final do séc. XIII, a segunda cidade em importância da região, atrás apenas de Firenze, famosa por seu grande centro têxtil. Tornou-se independente em 1370 e república em 1430. Passou pelo controle de franceses e austríacos até, em 1847 ser cedida ao ducado da Toscana.



A imagem do brasão foi enviada por um participante da comunidade "Bertolucci" no Orkut.

O histórico da cidade de Lucca foi extraido do site Portal Itália, onde constam mais informações e fotos da cidade, que é uma bela cidade.

quarta-feira, outubro 26, 2005

Introdução por Hélio Bertolucci Jr.

Outubro de 2005

Este blog terá informações através do meu olhar sobre histórias que consigo lembrar de minha família paterna.

Uma vez ouvi uma frase de que as pessoas só morrem quando elas ficam no esquecimento, então, vamos renascer todos esses que já passaram por aqui e estão no andar de cima, nos protegendo, afinal, eles vieram primeiro e eu por algum motivo que a vida não me informa, escolhi fazer parte desta família.


Sempre tive vontade de contar e registrar nossas memórias familiares, que de certa forma se perdeu com com a morte destes familiares e nada foi registrado, a não ser através de algumas fotografias. Desde criança sempre fui muito curioso e curtia ouvir algumas histórias contadas por um tio, aliás, meu padrinho, sobre nossos antepassados. Ele apesar de pouca instrução, foi a memória da família, sempre tinha seus "causos", piadas, fofocas de alguns pessoas. Meu pai, ainda vivo, nunca foi a melhor referência para coisas familiares, quando questionado sempre dizia que não sabia, ou não lembrava de tal acontecimento. Memória de peixe!!! (rs)

Acho que temos uma história simples, mas não deixa de ser a nossa história, desde a chegada de Luíz Bertolucci (meu bisavô) partindo de Gênova. Luigi, seu nome verdadeiro, acabou aportuguesando seu nome, como tantos italianos que naquela época não eram bem vistos pela sociedade. Acredito que tenha sido mais ou menos como a história mostrada pela novela "Terranostra" da Rede Globo de Televisão. Suponho que todas as famílias descedentes de italianos que chegaram à São Paulo tiveram a mesma história, acreditando em receber terras e achando que o Brasil fosse o novo eldorado. Não foi bem assim, o que eles, por parte do Governo quiseram, era substituir a mão escrava abolida que já não prestava mais serviços nas grandes fazendas. Pelo que sei, os nossos ficaram sempre na capital.

Qual será que foi a intenção da vinda de Luíz Bertolucci para o Brasil? Sinceramente, nos resta acreditar que a mesma de muitos outros italianos.

A imigração italiana já foi bastante documentada através de livros, como os da escritora Zélia Gattai que escreveu Anarquistas Graças a Deus que acabou virando minissérie na Rede Globo em 1984. Zélia tem outro livro, complementando este primeiro, de nome Cittá di Roma que era o nome do navio que imigraram para o Brasil. Algumas novelas também retrataram as sagas italianas como: Nossa Vida (1988) Terranostra (1998) Esperança (2002) da Rede Globo e Os Imigrantes da Rede Bandeirantes.

Acho que nossa família, pelo menos do nosso ramo, levou uma vida cotidiana, sem personagens célebres, riquezas, aventuras, tragédias, etc. Mesmo assim, podemos dizer que aqui também iniciou-se uma saga, como tantas outras que tiveram um sonho, porém, continua sendo uma família simples, com personagens que podem e devem continuar esta história.

É assim que desejamos ser lembrados e relembrados por toda a eternidade, como pessoas simples e trabalhadoras, os Bertolucci que fizeram sua história no bairro do Belenzinho e hoje espalhados por várias localidades desta cidade e outros municípíos paulistas.