terça-feira, março 07, 2006

1.2 Luigi Bertolucci (imigrante)

(Este post foi atualizado em 16/04/09
Fica difícil contar a história de quem já se foi, pois a maioria dos parentes que talvez soubessem algo deste meu bisavô, no caso os meus tios, na sua grande maioria também se foram. Restou somente meu pai Hélio e minha tia Marilda que na realidade nunca se interessaram para sua história familiar. Vamos lá, tentar levantar este que foi o personagem principal desta nossa vida aqui no Brasil.


Luigi Bertolucci nasceu na Itália, província de Lucca, comune da Capannori em 31/01/1860. Contudo na sua carteira de reservista consta 31/12/1860. Filho de Pellegrino Bertolucci e Palmerina Michelli. Será que levaram onze meses para registra-lo ainda como bebê na Itália?
Como já escrevi num post anterior, ainda nada sei sobre irmãos ou irmãs, mas acredito que poucas familias tinham um único filho (a), ainda mais as italianas. Talvez meu bisavô tenha outros parentes que ficaram na Itália ou imigraram para outras localidades brasileiras e do Mundo. No Memorial dos Imigrantes existe um registro em nome de Pellegrino Bertolucci, talvez seu pai visitando-o ou ainda um irmão com o mesmo nome do pai.
Imigração:

Já como imigrante em todos os seus documentos consta seu nome como Luís Bertolucci. Chegou no Brasil em 28 de dezembro de 1878, antes da grande leva que imigrou para o Brasil. O que será que trouxe Luigi Bertolucci para o Brasil? Está é um pergunta que será sempre uma incognita, poderia ser o velho sonho de viver na tal "Mérica" ou qualquer outro.
Outro dia fazendo pesquisas no Google descobri um tal Bertolucci que escreveu um livro sobre o facismo. Seria o nosso ramo Bertolucci ligado a vida política ou com algum problema político na Itália? Talvez somente uma visita em algum arquivo italiano para tentar desvendar esse mistério! É de se pensar que os nossos Bertolucci talvez tivessem uma vida mais ou menos boa na Itália, pois existem registros fotográficos , inclusive dos seus pais na Itália. Pelo que podemos imaginar não era qualquer família que tinha dinheiro para registros fotográficos nas primeiras décadas do século XX
Trabalho:
Não sei ao certo quantas profissões ocupou ou em que empresas trabalhou, pois chegou no Brasil com 18 anos e entrou para a empresa "The S. Paulo Tramway, Light & Power Co. Ltd." (anteriormente Companhia Carris de Ferro de São Paulo, virou Light e atualmente Eletropaulo) em 09 de janeiro de 1890, então com 30 anos. Nesta época os bondes ainda eram de tração animal já que os bondes elétricos começaram a funcionar em 1900. Por conhecer a informação de que tinha ocupado a profissão de motorneiro de bonde, consegui levantar nos arquivos da Eletropaulo esses documentos. Sua residência, segundo esta ficha de empregado era na Rua Visconde de Parnaíba, 301. Desligou-se da empresa em 01 de fevereiro de 1937. No mes de março do mesmo ano obteve sua aposentadoria pela Caixa de Aposentadoria e Pensões do Serviço de Tração, Luz, Força e Gaz de São Paulo e neste período o seu endereço residencial era Av. Jurema, 29 - Indianópolis.
Suas primeiras ocupações nesta empresa não estão definidas. Em fevereiro de 1902 ocupava o cargo de motorneiro - ou seja conduzia bondes elétricos - com salário de $ 600 (réis - ?). Em 1924 passou para tráfego transporte como ajudante chefe de Sto. Amaro - salário 200$000. Em 1928 como chefe da estação de carga de Vila Mariana - salário 250$000. Em 1929 como encarregado de Vila Mariana - salário 300$000. Em 1932 como encarregado Est. de carro de S. Joaquim (inelegível) - salário 350$000 e finalizando em 1935 na estação de carga (?) com um salário de 450$000. Pelas minhas contas trabalhou por 45 anos na mesma empresa aposentando-se com com 77 anos.
Vida familiar:
Luíz Bertolucci (com 25 anos) casou-se com Maria Ferreira da Silva (com 21 anos), brasileira, em 24 de setembro de 1885 (chequei isso na Cúria Metropolitana, onde vi o livro do seu registro de casamento - livro a partir de 1876 - registro n. 37) na cidade de São Paulo às 5 horas da tarde na Matriz Bom Jesus do Brás. São pais de Maria Emília (Joaquim Ferreira da Silva e Gertrudes da Conceição).Tiveram os seguintes filhos (as) nascido na cidade de São Paulo: Isabel, Antonio, João, Elisa, Luíz Filho, Mário, Olga e Yolanda. Parece que o casal teve outros filhos - três meninas e um menino - que faleceram crianças. (vide árvore genealógica) A família morou em alguns endereços na cidade, como no tradicional bairro italiano do Brás, depois na atual região do Ibirapuera onde morreram as últimas filhas.
Os únicos filhos que casaram-se foram Isabel com Américo Cerutti, Antonio com Josephina Salvagnini e João com Clandira Magalhães (meus avós). Isabel não teve filhos e a ramificação dos outros Bertolucci está no ícone "árvore genealógica".
Luigi faleceu nesta cidade de São Paulo em 28/05/1945 com 85 anos. Sua esposa Maria Emília faleceu também nesta capital com 79 anos em 04/01/1943. Estão enterrados no cemitério de Vila Mariana. (?)
Pesquisa: